Gravidez

Menina ou menino: e se o estresse tivesse um papel?


Segundo um estudo americano, desastres naturais, grandes eventos de poluição e graves crises econômicas reduziriam o número de nascimentos de meninos. Surpreendente!

Pesquisadores da Universidade da Califórnia tentaram desvendar o mistério do número desigual de nascimentos de meninos e meninas estudando as circunstâncias ou condições ambientais.

Menos meninos depois do 11 de setembro

  • Para tentar entender esse fenômeno, pesquisadores da Universidade da Califórnia estudaram os nascimentos após os ataques de 11 de setembro de 2001. Para isso, eles registraram todos os abortos ocorridos a partir da vigésima semana de gravidez nos Estados Unidos de 1996. até 2002. Os resultados corroboram a hipótese de que a taxa de mortalidade fetal masculina aumentou além do valor normal estimado para setembro de 2001. Cerca de 12% dos recém-nascidos masculinos, esperados entre setembro e dezembro de 2001 , não teria visto a luz do dia.

Garotos mais frágeis?

  • Este estudo sugere que, no útero, os meninos seriam mais sensíveis do que as meninas aos corticosteróides maternos - hormônios esteróides naturais secretados pela glândula adrenocortical em caso de estresse - produzidos após a vigésima semana de gravidez. Em tempos de crise, as meninas seriam a maioria.

Stéphanie Letellier

(Notícias de 06/06/10)

Vídeo: Start Rap ft. Rael - Pisa Devagar CD Fruto do Jogo Letra (Julho 2020).